quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Sobre a chuva e o GuardaChuva.



Sobre a Chuva.


Sobre a Chuva.

O sol se foi de repente

Foi-se também a luz do meu rosto

Sobrou a lágrima que corria muda

Solitária, trazendo-me seu gosto.


Os trovões rompiam o silêncio

Os raios iluminavam seus olhos.

Olhei o céu buscando estrelas

Mas a noite me trazia nuvens

Escuras como a cor dos seus cabelos.


Saí de braços abertos, passos incertos

O cheiro da chuva invadia o ar

O vento soprava fazendo as árvores dançar

Um leve gotejar, para lavar as mágoas de muitos.

Meu peito ardia cravejado pelas lágrimas do mundo.


Via o céu desabar aos poucos

A chuva molhar seu corpo bem devagar

Dançando na rua sem se importar com os outros

O vento soprar macio a te levar

Qualquer tristeza escorria pela rua

E toda beleza era sua.


Esperava contente o presente

Que lavava corpo e mente.

Fui deixando pelo chão:

Roupas, mágoas e solidão

me preenchia de pequenas alegrias:

As pérolas de cristal me faziam companhia.


Sabia que ali era seu lugar

A simples alegria encharcou meu olhar

Joguei-me em seus braços

Dois corpos e a tempestade

Sentimentos confusos

Uma só verdade.


Sabia que ali era meu lugar

Ali eu estava livre

Ali eu estava completa

Ali todos meus medos se perdiam

Todo meu coração se encontrava.


5 comentários:

adriana vegas e roger marmo disse...

Linda imagem. Idem texto. Só vou puxar a orelha pela ausência dos acentos nas proparoxítonas (coisa de ex-professora). bjs/ Adriana Vegas

Diogo (Nógue) Nogueira disse...

hehe obrigado pelo comentario Dri!

eu tenho uma briga pessoal com as proparoxitonas e acentos, obrigado pela leitura atenta, vou arrumar :)

Anônimo disse...

Olá amigo, desculpe perguntar, mas é você que fazia ou faz um Gibi que se chama um mundo muito estranho? Grato.

Diogo (Nógue) Nogueira disse...

hahah certamente que sim meu senhor. um mundo muito estranho, a histórias de dois rapazes e um limão.

Anônimo disse...

o Desenho é lindo !
poeta é lindo , o poema é bonito ... rsssssss

bjx