segunda-feira, 30 de junho de 2008

O que é o tempo? Devaneio - 18 - Desenho 63 - Quente, porém frio


Este foi para o ETC & Traço, blog tematicos ao qual participo
o tema era estações do ano. esse ai é meu verão.

O que é o tempo?

O que é o tempo, vil mortal?
O tempo é uma medida imaginaria
O tempo enquanto número não é nada
É apenas uma fraca marca
Que se torna importante pelo que fizemos dela
E nada mais

O que é o tempo, tolo mortal?
O tempo é aquele que vai te mostrar seus erros
O tempo é aquele que vai cravar seus arrependimentos
Será ele que te dirá que você errou
E que o deixou passar.

Oh! Pobre mortal, não seja refém do tempo
Não tenha dó de desperdiçá-lo
Não tenha medo de perdê-lo
Não o encare como o que você é
Não foi ele que te fez, e sim você
E aqueles que o amam a sua volta

O que é o tempo, seu idiota?
Acha que ele se preocupa com você...
Acha que o tendo nas mãos vai ser mais seguro?
Não importa se são um, dois, três ou a eternidade...
Quantos anos for, acha que estará seguro!?
Nunca, o tempo não trás segurança
E sim acomodação

Fique parado!
Tenha medo!
Não, não siga em frente
Deixe o tempo passar.
Perca!!
Tenha medo de tentar!
E você vera...
Ahhh sim… Um dia verá
O tempo bater a sua porta
Trazendo em forma de insatisfação
Tudo aquilo que você teve medo de conquistar.

5 comentários:

Alan B. disse...

Faleu pelo comentário todo inspirado em meu blog. Depois que vim aqui, daí percebi que você tem um certo conhecimento em Artes pois está fazendo faculdade. Um comentário bom, de alguem que está se especializando nisso, me deixa muito feliz!!! Valeu pela força!!

adriana vegas e roger marmo disse...

Parabéns pelo trabalho! Um verão infernal... rs
E a faculdade? E o rolo que deu por lá? Vi a notícia...
Vou colocar o site da motoca no ar agora em agosto... dá para acreditar? bjs e saudades

Diogo (Nógue) Nogueira disse...

Alan
que nada cara só uns palpites, espero que seja proveitoso hehe
valeu pela visita

Adriana
hehehe realmente infernal
obrigado

jeh disse...

incrivel

jeh disse...

o tmepo não me mata, sou eu que mato ele!