quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

O Pierrot 4, Devaneio 2



Técnica: Nanquin e pintura digital. (possivelmente pro blog TNT)

Devaneio 2

O triste Pierrot

Os comuns se jogam na multidão
E assim tentam esquecer a solidão.
Mas estão sozinhos e eles sabem.
Buscam dessa forma a felicidade.

Sabem que será apenas por um breve momento
Mas que felicidade não se desfaz no tempo?
São manipulados, mas não ligam.
Sabem que deve a tudo esquecer
São apenas quatro dias,
Não há tempo a perder.

Se fantasiam,
E tiram as mascaras interna.
Cobrindo o rosto para mostrar o que quer
Sem que os outros saibam quem é.

Mas há sempre aquele que não sorri na multidão.
Se destacando do colorido.
Se perder ao relento está em desaninho.
É este que não tem o que quer.
E nem sabe o que é.

Mas esse vazio profundo.
Não o deixa achar graça do resto do mundo.
E o resto de tudo agora é o nada.

Quando as ruas estiverem vazias...
E os outros encontrarem suas companhias.
Esta ele só a vagar.
Dançando leve e tristemente.
Dança sem estar contente.
Apenas se contentando. Seguindo a corrente.

Tem apenas um nome em sua cabeça
Em um sonho em seu coração.
Quer encontrar o grande amor,
Pra que tudo fique mais fácil,
Que as noites sejam mais alegres,
E não aja temporal.
Com alguém do seu lado no próximo Carnaval.

3 comentários:

Alex Cói disse...

Gostei desse trampo, rapaz..! Desse texto tbm..! êta menino versátil, Sô..!

jonas disse...

Ei meu velho, muito legal esse texto, tem tudo a ver com o que eu estou procurando, sou um ator...mentado (rsrsrs), e estou montando uma personagem que é exatamente esse Pierrort, e achei o teu texto muito legal, e o teu desenho tbm, se vc me permitir queria pode recitalo, quando montar minha personagem. se vc concordar me manda um email. cearadejesus@gmail.com.

um abraço e vc é um grande artista meu amigo.

Évelin disse...

eu ainda vejo esse como um momento especial... como conheci vc!
ainda acho um dos melhores trabalhos do mundo xDDD