sábado, 10 de novembro de 2007

Se perdendo no tempo - Desenho 42 "Natividade" - Devaneios 10 Hoje em dia


Natividade, ou a inatividade... o Nativo.... aqueles que não pudemos ser...
Estou gostando dos resultados dos meus trabalhos novos... este aqui é lápis grafite, conté sangüínea e caneta nanquim, tudo isso junto com manchas de estrato de nogueira e uma pitada de xilogravura... acabamento e cores digitais! hehe E mais um devaneio...

Hoje em dia

hoje em dia
os dias mais claros nascem,
mas cedo crescem...
e em dias assim...
são mais longos e confusos,
são mais lotados...
dias que eu preferia me trancar no quarto...
dias em que somos refens do tempo...
e como sempre por ele somos controlados...
nos traz a inrealidade, e a ilusão de que ele exite realmente...
na verdade ele eh vento...
as vezes leve... as vezes pesado..
um sopro rapido descontrolado
a brisa lenta inconstante...
na verdade eh apenas a morte...



E Esta ilustração foi para o TNTema http://www.tntema.blogspot.com/
o tema era desenho animado... esses foram uns dos quais eu me lembrei
também queria muito fazer do caverna do dragão, doug, e outros...
mas bom ainda os farei! hehe abraços

sábado, 3 de novembro de 2007

Nossa que estranho! - Desenho 41/ Devaneio 9


Aqui vai um novo... a série da fada tem continuação, mas vai ter que esperar um pouco.
esse eu fiz com aquarela e lapis de cor e a finalização foi digital. O papel é a alma do desenho
fazer uma aquarela antigamente me deixava frustrado, ainda não tão contente sigo feliz com materiais mais decentes... hehe

em seguida mais um Devaneio

Sobre o inconcebível

Há quem um dia dirá
Que em seu caminho
Nada se cumprirá

Este alguém em constate conflito
Vai se desfazer aflito,
Quando de longe o avistar

Montado em sua glória
Vestido de vitória
Com muito para contar

Não completo, no entanto,
Pois seu coração ingrato
Não quis te acompanhar

Vagueia ele e tão triste
pois perdido existe
e não vai se encontrar

Mais para aquele que o inveja,
A tua total felicidade festeja
Querendo no fundo te apunhalar

Com asas cortadas por mentiras
Correntes mais fortes que a saudade
Vê seu amor seguir as sereias.

E há quem um dia dirá
Que é impossível infeliz estar
Pois de fora é fácil dizer
Mas só de dentro pode se perceber
O que para os outros é inconcebível...

domingo, 14 de outubro de 2007

Fada - Desenho 40


Olá ... aqui vai um novo, esse tem uma mistura interessante que pretendo estudar melhor.
Fada 1

Fadados à imensa solidão
Vivendo em tristes pesadelos
Fugindo de seus medos
Mas sempre caindo mais no abismo

Suas asas a tiram do chão
Mas não lhe dão liberdade
Pois a onde for será perseguida
Se esgueiram por sua vida

E se ao menos o dia nascesse
E se ao menos o sol chegasse
E levasse consigo todo medo
E lavasse a sobra do que foi perdido

Nos olhos que fechados se contorcem
Nos braços que apenas não obedecem
Revela-se a triste certeza
Que somente dor lhe trás a sua beleza

Em florestas mais densas que a própria duvida
Entre olhares que uma luz surda
Clareia sons inimagináveis
É onde a levaram por mentes instáveis.

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Palhaço- Desenho 39


Olá pessoal esse é um trabalho em vetor que eu estava finalizando, mas meu hd ferro eu perdi tudo só tenho esse previl do garoto... vou ter que fazer tudo de novo hehe ai posto aqui quando tiver completinho...


só pra atualizar e devendo devaneios...

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Ultimos desenhos


O Ultimo Olhar





Estes dois são estudos para xilo que acabei viajando e me deixando levar.... apenas pela construção não ligando de como passar isso pra madeira depois... e bom não vou mais passar para madeira... hahaha... mas gostei de desenhar no preto! :P ...
e ah... o primeiro é o finalizado O ultimo olhar. o meu projeto me inspirou mais temas... em breve quem sabe postareia mais alguma coisa aqui...
abraços.

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Série, e novos desenhos


Sabado




Quarta

Esses são trabalhos da mesma série Ansiedade e Angustia que ja postei aqui...
apenas para atualizar e deixar mais essa marca ...
os proximo desenhos naseram da pesquisa para xilogravura... mas criaram asas... aguardem... até a proxima.

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Desenhos 27 e 28


esse é uma prévia do ultimo trabalho... ai ele tava secando ainda... no chão do meu "atelier" (hahah quarto ) e então tirei uma foto apenas para postar aqui...
na proxima coloco ele finalizado e com mais dois trabalhos...
o uso de imagens repetidas é proposital... é a lembrança, a sobra...
O resultado final desse ultimo trabalho não me agradou muito... agente sempre espera mais de um ultimo trabalho para uma série... esse não deu... hehe





Este é o penultimo trabalho... todos relacionam o mesmo assunto e as mesma técnica e linguagem que comecei a desenvolver no semestre passado no curso de desenho.

aquilo que deve ser dito... as sobras... fragmentos... lembranças, memoria e etc...
abraços e até a proxima...
(estou sem tempo para devaneios... )

segunda-feira, 23 de julho de 2007

Desenho 25 e 26 ("Lembranças e Janelas"e "Três Corações") devaneio 8



Lembranças e Janelas . técnica mista





Três corações, aguada de acrilica e guache sobe papel.
Esses são a continuação do meu trabalho... ainda com os mesmos principios dos trabalhos anteriores.... falam da auséncia, a busca... os vestigios a sobra... os proximos posts serão os ultimos trabalhos dessa série... depois deles vou mudar o formato e o suporte... tentar configurações diferentes.
em seguida devaneio 8
Aos Poucos tudo vira nada.

Aos poucos tudo vira nada
O tempo leva a todos pela mesma estrada
Até mesmo um grande amor é esquecido
Restando apenas sobras do que foi vivido.

Aos poucos tudo vira nada
Lindas jornadas viram pegadas
Dos mais belos sonhos sobram vestígios
Se esquecem de si próprios em pequenos esconderijos

Aos poucos o amor vira dor
E toda dor aos poucos se apaga
Alguém que nunca de fato existiu
Caminhando pela vazia madrugada

Aos Poucos tudo vira nada
Pois ficaremos vazios no fim da jornada
Pois esperamos sempre que tudo passe
O tempo é um rio e nós uma jangada.

E Aos poucos tudo se acaba
Em um lampejo, um desejo
Seu beijo que nunca sentirei
Nos sonhos que nunca viverei

Aos poucos tudo vira nada
Você será apenas uma lembrança
Nem boa nem ruim, uma lembrança apenas...
Do que fiz de mim.

sexta-feira, 13 de julho de 2007

A lua Devaneio 7 Desenho 24


a lua dos solitários..
a lua dos apaixonados...
a lua dos meninos pobres...

na noite sem estrelas ou flores
perdido entre tristezas e amores
que se perdem no tempo
sozinhos... ao relento.

brilhando na escuridão
sua luz não traz satisfação
intermináveis momentos
de inexplicável rejeição
enquanto lagrimas chegam ao chão.

na noite sem estrelas
em um céu sem compaixão
na lua que lampeja
e na solidão festeja
para nos lembrar apenas
que não exite razão

terça-feira, 12 de junho de 2007

Quinta e Sexta




Trabalhos artisticos . esses foram para o salão de são bernardo agora é só esperar e ver se são escolhidos. eles fazem parte de uma série de 7 desenhos inspirados em uma semana da minha vida...
breve mais devaneios .

domingo, 13 de maio de 2007

Roughs ieeer!
























Por esses dias... sai com um caderninho e uma caneta no bolso pronto para registrar tudo que eu visse na minha frente ou passasse pela minha cabeça... esses foram alguns dos resultados!
tava precisando desenhar mais... o resultado foi satisfatório... desenhar no metro é muito divertido... Porem acidentes podem acontecer... seu modelo se meche toda hora, ou vc ta tão concentrado que perde sua estação... hahaha mas vale a pena... desenhei até enquanto andava na rua segurando minha pasta A2 debaixo do braço ! ser artista é coisa pra maluco mesmo! hahah mas agente se diverte!.




quinta-feira, 3 de maio de 2007

o elefante (desenho 13) Devaneio 6 Sofrimento Pedido


Extrato de Nogueira e Nanquim em Canson .

Eram sete e alguma coisa da manhã e me deu vontade de desenhar elefante, ahaha saiu este ai que depois finalizei... obrigado a todos pelos comentários! são motivadores!

Sofrimento pedido

Encostei-me a ti sabendo que era vento
Sabendo que era tempo
Que passa e não volta mais

Abracei-te como ao um sonho
E por saber que era sonho
Deixei o sonho me levar

Por isso...
Sabendo que era folha
Que planava ao vento
Sabendo que o desejo
Em forma de acalanto
Não pude nem chorar
Não pude ao menos clamar
Quando a brisa soprou
Quando o tempo passou
Quando o sonho acabou
Quando o tempo à folha secou.

domingo, 22 de abril de 2007

Desenho 12. tiozinho estudo.


Estudo em integral 4b.
lembra aqueles velhinhos desconfiados, dando conselhos malucos!
esse ai ta dizendo... a semana é looonga paciência...
abraço ae .. sem devaneios por hoje :D

quinta-feira, 5 de abril de 2007

Desenho 11 Em busca da Felicidade


O Café com leite de sempre : Nanquin em canson e pintura digital.

Eu gosto desses personagens românticos, este remetendo ao teatro a Tragédia e a comédia. fiz pensando no desejo de todos em buscar a felicidade.

A gente sempre busca por aquilo que não tem,
Sempre temos aquele conceito encravado em nossas mentes sobre a felicidade,
E todos, estamos sempre em busca da felicidade de alguma forma e algum lugar...
As vezes a temos nas mãos, a sentimos e deixamos passar pensando que não era ela
As vezes apenas a observamos como algo difícil de se alcançar, como se estivesse muito distante, as vezes pensamos que o outro a tem fácil e nós penamos por um pouco dela. E não vemos a fortuna que temos.
Até ai tudo bem... estamos sempre atrás de ilusões mesmo! Uma a mais ou a menos...
Na verdade nada disso importa realmente... o que importa é simplesmente a busca por ela mesma. Todos buscam algo pra si, pro mundo... tentando fazer de sua existência alguma coisa com sentido... alguns vão conseguir outros não... temos apenas que saciar essa sede por algo bom dentro de nós pra ter alguma vontade de continuar... por isso busquem sempre...

sábado, 31 de março de 2007

Desenho 10, Camelo e Amarante. Devaneio o Vento em Homenagem


Lapis de cor em Canso.

O Vento

Olá, sou o vento,
E este é o meu lamento.
Apenas de passagem...
Sigo em frente, volto...
Nunca o mesmo, deixo-me por onde passo,
agrego outros pedaços.

Não ficarei, mas te levarei comigo,
e quando eu parecer sozinho,
lembrarei de tudo que deixou.

Seguirei novamente,
contente,
às vezes contra eu mesmo.
às vezes contra corrente,

Sou, e não sou,
Nada me prende,
Preso sou apenas o nada.
Aconteço no movimento
Morro em cada momento
Que barram o meu sonhar.

Seguirei novamente,
Preciso secar as lagrimas,
As minhas,
As suas,
Das aventuras e desventuras, .

No seu sorriso me completo
Seu ser me preenche,
Pois eu sou vazio e in-concreto.

Dou a ti o meu adeus,
Sei que não serei teu,
Preciso secar as lagrimas.

sexta-feira, 23 de março de 2007

Circofagia, Desenho 9


Guache e estrato de Nogueira em Madeira.
esse painel tem uns 2 metros e poco de altura eu acho e um de comprimento. (possivelmente)
bom era grande hahaha!!
ajudei na festa Circofagia da minha adorada e antiga escola Ete Carlos de Campos ou KK para os intimos.

sábado, 17 de março de 2007

Desenho 8, mancha com forma.



Estudo Rapido : pincel e Nanquin em sulfite.
Achei este um desenho completo em sua simplicidade... em breve posto desenhos mais elaborados!

sábado, 3 de março de 2007

Desenho 6 e 7. Devaneio 3 (Sonho)



Lapis em sulfite normal... dão um ar mais ludico de sonho...
o anjo fiz ano passado... o retrato eh novo... recente em minha mente.
Sonho

Um dia quero acordar de um sonho
Calmo, com o rosto risonho.
Ter vivido o que mais desejei.
Andado por caminhos que jamais imaginei.

Um dia quero acordar de um sonho,
Recheado de saudades e com o coração tristonho.
Ter chegado ao fim de uma bela viajem,
Cheio de recordações na bagagem.

Um dia quero acordar de um sonho,
Saber que apreciei todo o caminho,
Mas perceber que tudo passou de pressa
Surpreso, pois o tempo pregou-me uma peça.

Um dia quero chegar cansado,
Triste e desanimado.
Dormir e viver um belo sonho,
Calmo, com o seu rosto risonho.

Um dia quero acordar de um sonho
Sonho este que vivi ao seu lado,
Ver seu sorriso e seu rosto apaixonado
E perceber que tenho tudo que tinha sonhado.

sábado, 24 de fevereiro de 2007

Desenho 5...


Este ai foi o começo do meu estudo de nanquin... ja tem um tempo...
achei legal colocar aqui... pra me dar mais vontade de fazer melhores! hehe
abraço...

hoje sem devaneios... até a proxima.

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

O Pierrot 4, Devaneio 2



Técnica: Nanquin e pintura digital. (possivelmente pro blog TNT)

Devaneio 2

O triste Pierrot

Os comuns se jogam na multidão
E assim tentam esquecer a solidão.
Mas estão sozinhos e eles sabem.
Buscam dessa forma a felicidade.

Sabem que será apenas por um breve momento
Mas que felicidade não se desfaz no tempo?
São manipulados, mas não ligam.
Sabem que deve a tudo esquecer
São apenas quatro dias,
Não há tempo a perder.

Se fantasiam,
E tiram as mascaras interna.
Cobrindo o rosto para mostrar o que quer
Sem que os outros saibam quem é.

Mas há sempre aquele que não sorri na multidão.
Se destacando do colorido.
Se perder ao relento está em desaninho.
É este que não tem o que quer.
E nem sabe o que é.

Mas esse vazio profundo.
Não o deixa achar graça do resto do mundo.
E o resto de tudo agora é o nada.

Quando as ruas estiverem vazias...
E os outros encontrarem suas companhias.
Esta ele só a vagar.
Dançando leve e tristemente.
Dança sem estar contente.
Apenas se contentando. Seguindo a corrente.

Tem apenas um nome em sua cabeça
Em um sonho em seu coração.
Quer encontrar o grande amor,
Pra que tudo fique mais fácil,
Que as noites sejam mais alegres,
E não aja temporal.
Com alguém do seu lado no próximo Carnaval.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2007

domingo, 18 de fevereiro de 2007

Desenho 2


Técnica: Acrilica
A tentativa de prender o que se esvai.

Desenho 1, Devaneio 1.


Desenho 1 : ilustração vetorial! Adoro Ilustrator! ieee!
Devaneio 1

Triste é o que passa e não deixa marcas
Triste é o que existiu sem fazer diferença
que se deixou levar na sua incompetência.

Triste é a ilusão de ter tido alguma coisa,
Triste é pensar que vivemos na balburdia.
e assim vivemos.... e assim continuamos...
e assim criamos....

para tentar deixar alguma coisa.
pra tentar prender essa ilusão de sentido e vida.